Acompanhar este blog

domingo, 4 de setembro de 2011

Para Você

E já que estamos em setembro, começo com o texto, tão primorosamente escrito e também bastante atual que copiei na íntegra da revista referente aos meses julho-agosto de 1947.
Você pode clicar duas vezes na imagem para ampliar e ficar legível.



Temos, os da espécie humana, o mau vêzo de desprezar as lições que a Natureza, na sua simplicidade, ao mesmo tempo que na sua sabedoria, nos presenteia, a cada instante.
Trocamos, não raro, o dia pela noite, enquanto o instinto atávico dos irracionais, às vezes mais criterioso que nós, jamais lhe permite fazê-lo. É que, à noite, se verificam fenômenos de toda a espécie, necessários à função biológica. Eles passam desapercebidos, quase, de nós, que nos julgamos detentores dos conhecimentos mais profundos da ciência, mas não respeitados pelos animais, que obedecem, na sua atividade diuturna, o ciclo do dia solar.
Haja visto o que aconteceu, no último eclipse, em Bocaiúva, onde a passarada, saudando o dia nascente, riscava os céus, em revoada alegre e iniciava sua luta quotidiana, em busca de alimentos. O sol, todavia, foi eclipsado pela lua e se fez a treva sobre a terra. Os pássaros não se perturbaram e como, à noite, eles costumam estar sempre, em seus ninhos, não discutiram o fenômeno mas voltaram, precipites, às copadas das árvores, suas moradias, certos de que decorrera mais um período de dia solar. Apenas, todavia, voltou a luz do astro-rei a inundar a terra, retornaram, súbito, à sua faina e aos seus vôos.
Em tudo, aliás, os animais obedecem a certas regras constantes, que nós, nem sempre, procuramos conhecer, mas que lhes dão um teor de vida sadia e intensa, dispensando-lhes médicos, remédios e hospitais.
Chega-nos, com Setembro, a estação maravilhosa da Primavera, que risca as nuvens, em vôos surpreendentes, gozando tal estação, intensamente, tirando-lhe todo o proveito que lê lhe pode dar.
À medida do que nos é possível, corramos para os campos, para aurir aquele ar puro, enchendo os nossos pulmões, renova-nos as energias do sangue, depauperado nos ambientes confinados em que labutamos todos os dias.
Impregnemos as nossas vistas dos panoramas luminosos com que a natureza pátria nos deslumbra e desanuviemos os nossos espíritos dos quadros limitados da nossa visão diuturna, em nossos afazeres.
Gozemos as delícias desta quadra primaveril, que nos é propícia à renovação salutar do nosso organismo e, principalmente, saturemo-nos desta alegria, própria da estação que iniciamos, a fim de higienizar o nosso espírito, comumente tão preocupado pelo peso de nossas responsabilidades quotidianas.
Aproveitemos a vida, no que ela tem de bom e no que nos é lícito, porque, conforme o aforismo chinês, “é mais tarde do que pensamos”.



Espero que tenham gostado.
...............................

16 comentários:

  1. EStela... Muito lindo !


    Beijoooooooo

    ResponderExcluir
  2. Oi minha querida parece que parecemos muito uma com a outra gosto dessas coisas que remetem ao passado tenho revistas aqui que ganhei de 1954, 66, bem antigas uma relíquia adoro uma linda semana bjs com meu carinho Leila

    ResponderExcluir
  3. Que lindo Estela! vou levar e guardar nos meus arquivos posso?
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Oi Lilá(s), claro que pode levar, afinal é "Para Você".
    Beijocas.

    ResponderExcluir
  5. Muito lindo madrinha!
    Venho a convidar para os meus anos no dia 10 sabado
    Conto com sigo
    Turrinhas da
    Kika

    ResponderExcluir
  6. Estelinha
    Lindo este convite para se gozar devidamente a primavera e sem demora porque "é mais tarde do que pensamos"! E toda esta beleza escrita em 1947!! Onde descobriste esta preciosidade?
    Mil beijos e bom fds.
    Graça

    ResponderExcluir
  7. Estela, querida, que texto lindo! bem ao
    meu, nosso gosto. Relíquia, não é????

    Um xêro!

    ResponderExcluir
  8. Lucia,
    uma relíquia do tempo das nossas mães (rsss)!!! e vai ter mais...

    ResponderExcluir
  9. Graça,
    Ganhei essa revista de uma senhorinha de 82 anos, e tem muitas outras (rsss).

    ResponderExcluir
  10. Leila,
    Guarde bem suas revistas, pois são tesouros que não têm preço.

    ResponderExcluir
  11. Jacque e Kika,
    que bom que gostaram!

    ResponderExcluir
  12. Estelinha
    Passei para te desejar um bom domingo!
    Depois da tua publicação, fui dar uma volta ao meu anexo onde tenho uma arca com coisas da minha mãe e sabes o que encontrei? Muitas revistas de "Modas e Bordados" e figurinos dos anos 50!!!
    Já estive para deitar tudo fora mas, como eu tenho muito carinho pelas coisas que eram da mãe...deixei ficar! Qualquer dia ainda te mando algumas...
    Beijocas.
    Graça

    ResponderExcluir
  13. Oi Graça,
    Vou adorar receber essas revistas tão especiais...
    Eu tenho um figurino dos anos 1930, que meu pai comprou quando esteve nos Estados Unidos (ele ainda era solteiro e guardou para dar a sua futura esposa, que ainda nem conhecia - rsss). Qualquer dia eu faço uma postagem com essa história...
    Bjs.

    ResponderExcluir
  14. Como sempre amiga Estela, excelente post.
    Bom domingo
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  15. Boa noite Estela. Adorei o texto, realmente é tão antigo e ao mesmo tempo tão atual. A natureza é verdadeiramente sábia. Super interessante esse seu blog.Um charme só.Bjs.

    ResponderExcluir
  16. Olá Maria e Lourdinha,
    Que bom que gostaram!
    Bjs.

    ResponderExcluir